quarta-feira, 23 de julho de 2014

Não te esqueças do chapéu!

Já por várias vezes aqui referi que a altura que mais gosto para fotografar a Lua é quando esta tem apenas dois dias de idade. Não é só por motivos fotográficos mas igualmente porque quando se aponta o telescópio, conseguem-se observar com muito mais nitidez todos os detalhes de crateras e outras características, principalmente na zona do terminador, a zona de transição entre a luz e a sombra.
Dá-me imenso prazer fazer rastos de estrelas mas um rasto de Lua oferece uma dificuldade ainda maior. Uma imagem deste tipo, demora algum tempo a planear. Desde a busca do local até à hora exacta, falamos de vários dias de planeamento. O local tem de ser calculado ao metro, porque mais um metro ao lado e a composição não resulta como queremos, invalidando toda a preparação feita. A escolha da lente, da abertura, do ISO e da distância focal precisam de ser feitas cuidadosamente para que nada falhe. Uso esta técnica à já alguns anos, 9 para ser mais preciso, e custou um pouco a desenvolver. Foram muitas tentativas, com muitos insucessos e alguns resultados satisfatórios. A fotografia em si, tem uma exposição de 55 minutos num único frame mas o tempo total de execução tem mais de 3 horas, desde a preparação, deslocação, montagem do equipamento e afinação dos parâmetros da máquina mas o mais curioso é que nada disto seria possível sem um simples chapéu!

Sem comentários: